Miguel Figueiredo | 10 perguntas para encontrar a sua voz digital
7861
post-template-default,single,single-post,postid-7861,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,,qode-theme-ver-3.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Inspiração

10 perguntas para encontrar a sua voz digital

  |   Criatividade, Marketing, Tendências   |   Sem comentários

“Cuidado com os seus pensamentos pois eles tornam-se nas suas palavras. Cuidado com as suas palavras pois elas tornam-se nas suas ações. Cuidado com as suas ações pois elas tornam-se nos seus hábitos. Cuidado com os seus hábitos pois eles tornam-se no seu carácter. Cuidado com o seu carácter pois ele torna-se no seu destino.”

 

É impressionante como este tremendamente sensato provérbio milenar chinês assume particular importância na nossa época. Uma época em que, através das plataformas de media social, todos têm uma voz para expressar os seus pensamentos, a quem lá estiver para ouvir.

 

Hoje, pelo Facebook, twitter, LinkedIn, Instagram, Pinterest e muitas outras plataformas, todos podemos expressar-nos livremente, recorrendo às palavras ou às imagens. E com isso, coloca-se uma questão: aquilo que diz, molda o destino que pretende para si?

 

Vou-lhe pedir para fazer o seguinte exercício, neste preciso momento: abra uma nova tab no seu browser, entre na sua página de Facebook, ou outra plataforma onde escreva habitualmente e clique no seu perfil. Agora leia de seguida tudo o que escreveu nos últimos meses. Vá. Faça isso agora. Eu espero e já nos voltamos a encontrar.

 

 

Gostou do que postou?

Mais do que gostar, sente que o que postou transmite a imagem que quer de si?

Acredita que ajuda a tornar mais próximo o seu destino, qualquer que seja?

 

Talvez não. Talvez nem sequer saiba como responder a estas perguntas porque ainda não descobriu o seu destino ou porque não sabe como as suas palavras o podem impactar. Mas uma coisa pode tomar como garantida: os seus posts impactam e muito a sua imagem junto dos outros. E é na sua relação com os outros e com o mundo, que se encontra o seu destino.

 

Sem querer ser muito filosófico, deixo-lhe aqui uma série de perguntas que vão ajudar a refletir e encontrar a sua própria voz nas redes sociais. Uma voz que vai ajudar a reforçar as suas ações, os seus hábitos, o seu carácter. O seu destino.

 

  1. Porque escrevo/posto?

O que está a impulsionar os seus posts? Que pretende alcançar? Procura admiração, quer que gostem de si, quer contribuir para o bem colectivo, deseja aprovação, pretende provocar para levar os outros a agir no certo sentido, etc. Seja qual for a razão, é importante que responda com máxima sinceridade. Afinal a resposta a esta pergunta é apenas para si. E não vale a pena enganar-se a si próprio.

 

  1. Para quem escrevo?

Tem algum grupo específico em mente? Os seus (verdadeiros) amigos e família, a comunidade profissional de que faz parte, os seus potenciais clientes, os seus concidadãos, o mundo? Mais uma vez, seja absolutamente sincero.

 

  1. O que procuram as pessoas que podem ler os meus posts?

A resposta a esta pergunta foge completamente do seu controlo. A verdade é que as pessoas só vão ter interesse naquilo que escreve se isso lhes oferecer algo que valorizam. E as pessoas valorizam uma de 3 coisas: informação, que lhes traga compreensão e conhecimento; utilidade, que lhe facilite algum aspecto da sua vida; e entretenimento, tudo aquilo que lhes ajude a passar o tempo de uma forma lúdica. Por isso, a pergunta para si é: sobre o que pode escrever que traga algo de novo em termos de informação, utilidade ou entretenimento?

 

  1. Como podem os meus posts relacionar-se comigo?

Os seus posts são uma extensão de si. Por isso devem permitir que as pessoas conheçam uma ou várias dimensões suas, que sejam autênticas, reais, que genuinamente contribuam para as pessoas conhecerem melhor os seus valores, o seu carácter.

 

  1. Estou a ser eu ou só politicamente correto?

Os seus posts devem expressar as suas opiniões e pontos de vista. Poderá haver pessoas que discordem? Sem dúvida. Mas se na vida real não tem medo de defender aquilo em que acredita, porque deveria ter na net? Mostrar-se na net como se mostra na vida real construirá a sua consistência, credibilidade e confiança.

 

  1. Penso antes de escrever/postar?

Lembre-se da verdade absoluta da internet: uma vez na net, sempre na net. Dizer as coisas de cabeça quente nunca é boa ideia. Na net, as consequências podem ser ainda mais graves pois se algo que expressa se torna “viral”, dificilmente vai conseguir voltar atrás…

  1. Vendo/peço demais?

As redes sociais podem ser um canal fortíssimo para angariar clientes e para pedir ação por parte dos nossos amigos e conhecidos. Mas quem está sempre a pedir ou a vender torna-se rapidamente incomodativo. E na net, estamos sempre a um click de distância de deixar de incomodar….

 

  1. Estou a postar sentenças ou a envolver-me em interações com outros?

Mesmo um especialista numa certa temática deve procurar sempre fazer os seus posts num formato que promova a interação. A solicitação pela participação vai ser apreciada, permite estabelecer uma relação de dar e receber e vai ajudar a que cresça e fique mais rico com cada post que faz.

 

  1. Escrevo/posto com a frequência adequada?

A frequência deve estar adequada ao valor daquilo que tem para dizer e deve sempre ser pautada com discernimento. E lembre-se: nem todos valorizam como nós o que temos/queremos expressar.

 

  1. Estou a dedicar tempo demais aos meus posts?

Como em tudo na vida, equilíbrio é a palavra chave. E a não ser que a sua vida profissional dependa fortemente da sua atividade nas redes sociais, eu diria que o equilíbrio certo é aquele que lhe permite nunca deixar de fazer nada na sua vida fora da net, por causa de um post.

Sem comentários

Deixe o seu comentário